segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Ministério feminino - I Timóteo 2: 9-15


Para falar sobre a mulher, o homem e Deus na visão Paulina, precisamos de alguns pressupostos que nos ajudarão a entender o contexto das expressões que Paulo usa no texto de Timóteo 2:9-15.Primeiramente, cabe-nos dizer que o contexto histórico do texto é profundamente opressor da mulher. É um contexto desfavorável a qualquer tipo de manifestação feminina tanto na igreja quanto na sociedade. A mulher era vista como incapaz e desqualificada para qualquer ato público. Nesse sentido, a minha primeira pergunta a Paulo nesse texto é: até onde os homens tem autoridade sobre a mulher? E mais, porque os homens tem autoridade sobre elas se todos pecaram e foram destituídos da glória de Deus segundo Romanos?Situando o texto, temos a influência de Platão, grande filósofo que acreditava na reencarnação e dizia que seria uma grande falta de sorte uma alma masculina reencarnar em uma mulher. Já Aristóteles considerava a mulher uma espécie de macho imperfeito, produzido pela ação maligna. Lembramos que esse tipo de conceito é pagão e não cristão.No mundo judeu, escritores judeus como Flávio Josefus acreditavam que a mulher era inferior ao homem em todos os sentidos. No Talmude (documento onde estava escrito as leis e as tradições judaicas) está escrito na forma judaica da oração matinal: “o judeu dava graças a Deus, todas as manhãs por não tê-lo feito gentio, escravo ou mulher”. Na lei judaica, a mulher não era vista como uma pessoa, mas como uma coisa, uma propriedade que não tinha o mínimo de direito legal e era posse absoluta do marido que poderia fazer dela o que bem entendesse.Em segundo lugar, precisamos definir o que o cristianismo entende ser a mulher. Lemos em Gênesis 1 que Deus criou o homem e a mulher dando a ambos o direito de governar sobre a criação. Fica claro no texto que Deus fez macho e fêmea à sua própria imagem, conforme a sua semelhança, deu a eles a tarefa de reprodução e domínio sobre tudo. Não existe a possibilidade no texto de que um dos sexos tenha mais semelhança de Deus do que o outro. A semelhança deles com criador era igual aos dois e a mordomia sobre a terra deveria ser partilhadas por ambos. É indiscutível que ambos eram imagem e semelhança de Deus. Todos os grandes comentaristas bíblicos dizem que se Deus criou homem e mulher conforme a sua imagem, é porque em Deus existe a imagem masculina e feminina. Dentro do ser de Deus existe o que corresponde ao macho e fêmea. Portanto Deus não é masculino. Fica óbvio então o amor de Deus por ambos, homem e mulher e que ambos são sua própria imagem e semelhança. Assim entendemos inúmeros trechos bíblicos que mostram Deus numa imagem feminina. A discussão maior fica para o pós queda. Após a queda Deus diz claramente que a vontade da mulher será do marido (Gênesis 3.16). Por causa dessa ordem, historicamente o homem tem explorado, subjugado, oprimido e humilhado a mulher. Com certeza não foi essa a vontade de Deus quando falou sobre a autoridade masculina. O homem não é superior a mulher, mesmo depois da queda e a idéia não é de escravidão, diminuição nem de vergonha da mulher.Em terceiro lugar precisamos resgatar a dignidade da mulher na vinda de Jesus. Primeiro porque Paulo ensina que o Messias nasceu de mulher (Gálatas 4.4). Jesus sempre foi acompanhado em suas viagens por mulheres fiéis, que estavam com ele. Jesus fala com mulheres, como a samaritana pecadora, a que foi apanhada em ato de adultério e ia ser apedrejada, a prostituta que lava seus pés na casa de um fariseu, e Jesus aceita seu perfume e lhe perdoa os pecados. Jesus com certeza foi o homem que devolveu a dignidade da mulher. Sabemos que o judeu era proibido de falar em público com uma mulher, mesmo esposa ou filha. Era proibido ensinar a lei a uma mulher, segundo o Talmude, seria melhor queimar a lei do que ensiná-la a uma mulher. Jesus faz o contrário, honra Maria Madalena e a ensina sua Palavra a muitas mulheres. Jesus acabou com a maldição que Deus havia dito a mulher. Não tenho dúvida disso. Deus em Cristo resgata a igualdade entre os sexos criados a imagem de Deus. A nova comunidade de Jesus deve agir como ele agiu e Paulo ensina isso claramente em Gálatas 3.28, que é um texto chave para entendermos o pensamento Paulino sobre a mulher. Essa é a idéia da igreja de Jesus. Na igreja fica irrelevante o sexo, todas as pessoas de todas as raças, sexos, cores, classes são iguais diante de Deus, sendo que todos somos justificados pela graça mediante a fé em Cristo. Todos os que tem fé são iguais, filhos de Deus, amados, aceitos no céu e salvos sem qualquer espécie de discriminação, favoritismo, sectarismo. E isso deve reger os papéis dentro do corpo de Cristo, que a partir de Jesus são determinados por dons que o Espírito dá ao corpo, sem distinção alguma de sexo. Não existe um papel específico superior dos homens no corpo de Cristo, pelo contrário, não há homem ou mulher, mas dons que devem reger o serviço de todos os cristãos. É assim que o cristianismo vê a mulher e acontece o resgate da criação antes da queda. Chamamos isso de “imago Dei” – o resgate da mulher como imagem de Deus tanto quanto o homem. O cristianismo recupera, restaura a criação. Jesus é a redenção da queda e da maldição imposta a mulher depois da queda.Em quarto lugar vamos observar o ensino Paulino no texto de I Timóteo 9-15. É claro que Paulo não queria se opor ao ensino de Jesus. Fica claro também no ensino Paulino que em várias situações ele falava em seu nome, dizendo “digo EU não o Senhor...” ( I Cor.7.12) . E mais, a igreja primitiva reconhecia a autoridade apostólica de Paulo e a capacidade dele em aconselhar a igreja em determinadas situações, mas em momento algum, os conselhos humanos que o apóstolo dava deveriam ser usados como doutrina, mas como conselhos práticos, relacionados a problemas situacionais que a comunidade vivia. Por isso eram conselhos que se relacionavam a uma situação, não a uma prática doutrinária que valeria a toda a comunidade cristã em qualquer tempo ou contexto, não era uma afirmação teológica nem cristã, mas um conselho humano. A prática cristã ensinada por Cristo é diferente do que Paulo diz em I Timóteo 2:9-15, e Paulo sabia disso, mas em função dos problemas da igreja, ele dá conselhos para que determinadas situações fossem evitadas. A fala de Paulo não se refere ao seu pensamento nem ao pensamento de Jesus, mas a uma necessidade. Por conseqüência, essa prática ensinada por Paulo não deve ser a prática do cristianismo geral, mas é uma situação estabelecida por ele para evitar problemas maiores em uma comunidade específica, situada numa região e vivendo determinados problemas específicos.Conclusão: concluo que Paulo não está contradizendo o ensino e prática de Jesus e nem aquilo que ele mesmo fala em outras situações, mas que essa fala de Paulo deve ser situada a analisada a luz do seu contexto histórico e não de forma contemporânea. Era comum por exemplo que o véu fosse sinal de respeito naquela sociedade porque o rosto da mulher ficava obscuro e a mulher sem véu ficaria exposta a ser observada pelos homens. Não existe mais essa necessidade em nossos dias. Hoje, as mulheres cristãs estão livres de todo véu e podem andar com rosto descoberto. Por isso é importante entender que nunca devemos desprezar os aspectos culturais no estudo bíblico, e nesse texto em questão fica claro que a exigência de Paulo que as mulheres se calem é totalmente temporária e circunstancial porque em outros textos, ele mesmo permite que as mulheres falem, orem, ensinem e profetizem na igreja (I Corintios 11.5; Tito 2:3,4). Paulo usa de sabedoria e sensatez quando aconselha as pessoas do seu tempo. Ele sabia do contexto que vivia e por sabedoria optava em preservar o antigo para garantir que não haveriam exageros e avanços que não seriam bons para a época dele. Finalmente, o ensino de Paulo em todo o Novo Testamento é que as mulheres estão livres para exercer qualquer tipo de ministério no corpo de Cristo, mas ele sabia que cada igreja era diferente e aconselhava cada uma de forma particular para evitar exageros e deformidades no evangelho.Assim entendo o texto de Paulo em I Timóteo 2:5-19 e interpreto o papel da mulher em nossos dias. Como certeza hoje é absolutamente recomendável que as mulheres ensinem não só as mulheres como também aos homens. É biblicamente aceitável o ministério pastoral feminino e o chamado de Deus as mulheres. Penso que a igreja deve reconhecer o dom feminino, ordenar e autorizar as mulheres a qualquer atividade pastoral, desde que esta seja aprovada por Deus
.


19 comentários:

sarahsheeva disse...

Que texto maravilhoso!
Muito bem escrito, muito bem explicado e comunicado!
Amei!
Vou compartilhar na minha página do facebook e postarei teu link.
Um abraço, Deus te abençoe ainda mais!
Paz,
Sarah Sheeva

Cris Sousa disse...

Muito bom!

Bispo ELI disse...

Parabéns,muito bom o texto. concordo plenamente.

Valéria Oliani disse...

O artigo é muito bom, parabéns.

Raniére disse...

O que significa: Jesus acabou com a maldição que Deus havia dito a mulher.

Robson Alves de Lima disse...

Bem, creio que, ainda que vivamos numa sociedade pluralista, não deveria este pluralismo influenciar nosso posicionamento exegético e hermenêutico, colocando em Paulo padrões que ele mesmo não sustentava, bem como algumas expressões utilizadas (eg, "Todos os grandes comentaristas bíblicos"), carece de fundamentação bibliográfica. Quem são estes comentaristas? Onde a fonte? Se este texto fosse escrito para uma defesa de tese, ele, com certeza, já teria pecado em não fornecer as bases necessárias para que o mesmo fosse levado mais a sério. E, nisto, os pressupostos do autor embaçaram a visão que ele deveria ter acerca da Escritura, e, não realizando uma eisegese francamente "liberal" que força o texto paulino falar o que não foi intencionado falar. Ex-cordis, tuu servum Robson Alves (calvarybrazil@hotmail.com)

Anônimo disse...

Paz pastor, queria deixar a minha opinião ao seu comentário, concordo quase que plenamente com o que escrevestes, com exceção quando citou, primeiro, que Deus fez homem e mulher iguais à Sua imagem; segundo, que Deus não é masculino; então exponho que: Deus criou o homem do pó da terra e fez conforme a Sua imagem, mas não num sentido físico, e sim nos sentidos mental, moral e social, depois fez a mulher da costela do homem para ser sua ajudadora, assim não fez ambos da mesma forma; e segundo, nenhum autor bíblico faz citações dizendo que Deus é mãe dos homens, que Deus é a mãe de Jesus,etc, portanto, mesmo que em Deus não haja sexualidade, a bíblia sempre se refere à Ele na figura masculina; assim, na minha opinião acho que há alguns equívocos; no demais concordo que a mulher deve ser nossa ajudadora e ter seus direitos e não ser uma escrava, pois elas foram criadas para serem nossas bençãos literalmente, paz! André Martins

Katiuscia Moura disse...

Existe uma linha muita fina em o que era referente á época e o que nos é pratico na Palavra hoje. Afirmar que algum ensinamento de Paulo era apenas costume judaico ou da época é questionar todos os seus ensinamentos na Palavra.

Doriovan Silva disse...

Boa tarde,
Bem interessante seu texto, mas eu não poderia deixar de registrado algo que me chamou muito a atenção. Se formos ler as escrituras baseados na contemporaneidade, acredito verdadeiramente que corremos um grande risco. A simples ideia de reinterpretar o que lemos na bíblia sagrada colocando em voga o que vivemos na atualidade poderá nos levar a erros grotescos. Semente esse comentário para reflexão dos demais. Deixo algumas referências para meditação.Em 2 Timóteo 3:16-17 diz: "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;
Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra."
No Salmo 119:89 está escrito: "A tua Palavra, Senhor para sempre está firmada nos céus. Ainda em Dt 4, 2 temos: “Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor, vosso Deus, que eu vos mando”.
Acho que pensar numa releitura da Bíblia Sagrada é algo perigoso, pois poderemos incorrer em erros.
Na minha opinião a Bíblia Sagrada é mais atual do que o jornal da manhã. Os tempos e os valores mudam, mas a Palavra de Deus continua a mesma.

Anônimo disse...

PARABÉNS PASTOR DAVI ROBSON, O SEU TEXTO É DE UMA SABEDORIA DIVINA, ENTÃO VAI SEMPRE CONTRA AS TRADIÇÕES DISCRIMINATÓRIAS DO MACHISMO QUE IMPERA A SÉCULOS! MAS GLÓRIA A DEUS! QUE JESUS VEIO PARA ESCLARECER TUDO QUE VOCÊ EXPÔS EM SEU ARTIGO, COM MUITA CLAREZA E Á LUZ DA PALAVRA DE DEUS, E QUEM SE DISPOR A LER E MEDITAR EM TUDO QUE JESUS FALOU E FEZ NO NOVO TESTAMENTO, NO QUE DIZ RESPEITO Á MULHER, VAI COMPREENDER O QUE VOCÊ QUIS DIZER! MAIS UMA VEZ PARABÉNS!!!É DE HOMENS ASSIM QUE O MUNDO PRECISA, E NÃO DE PESSOAS QUE PEGAM TEXTOS ISOLADOS PARA JUSTIFICAR O PRECONCEITO E A DISCRIMINAÇÃO CONTRA AS MULHERES, ESQUECENDO DO CONTEXTO DA PALAVRA DE DEUS!!SOMOS TODOS Á IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS SIM! A PALAVRA DE DEUS É BEM CLARA, SÓ NÃO ENTENDE QUEM NÃO QUER ENTENDER MESMO! GRANDE ABRAÇO PASTOR DAVI ROBSON, DEUS CONTINUE TE ILUMINANDO E TE INSPIRANDO EM NOME DE JESUS! A PAZ DO SENHOR!

Anônimo disse...

PASTOR DAVI ROBSON, GOSTEI TANTO DO SEU ARTIGO, QUE GOSTARIA QUE O SENHOR ME AUTORIZASSE A COLOCAR ESSE ARTIGO NO MEU LIVRO QUE ESTOU ESCREVENDO SOBRE O MINISTÉRIO PASTORAL DA MULHER, O TITULO DO LIVRO É " MULHER SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS". GOSTARIA DE ENTRAR EM CONTATO COM VOCÊ PASTOR. GRANDE ABRAÇO.

BISPA disse...

NOSSA ATÉ QUE FIM CONSEGUIR ENCONTRAR ALGO SOBRE AS MULHERES EM DEFESA DELAS.PASSEI MUITAS LUTAS SOBRE ESSE ASSUNTO EU CONVERSAVA COM DEUS PORQUE ELE ME ESCOLHE PORQUE FUI UNGIDA E PORQUE FALA DAQUELA MANEIRA SE NÃO É PARA MULHER FALAR OU PASTOREAR PORQUE O DOM DE LIDERANÇA O DO DE PREGAR VARIAS VEZES PENSEI EM PARAR PORQUE EU QUESTIONAVA QUERO VIVER A PALAVRA E NÃO PODIA PORQUE O CHAMADO DE DEUS ERA MAIS FORTE NA MINHA VIDA MAS GRAÇAS A DEUS VOU PODER DESCANSAR AGORA TENHO A RESPOSTA QUE PRECISAVA OBRIGADA JESUS POR USAR O PASTOR DAVI PARA ESCLARECER.

Maria Helena disse...

Este é o texto que eu menos entendo na Bíblia e esta explicação, ainda que não tenha me satisfeito completamente, foi a melhor que eu encontrei até hoje. Quero chamar a atenção para algo que ele disse: o que Paulo diz aí vai contra a prática de Jesus Cristo. Para mim isso é fundamental. Sinceramente, o que eu penso é que este não é um texto genuíno de Paulo. Para mim tem alguma coisa errada aí.

Maria Helena disse...

Gostaria de comentar algo sobre termos sido feitos à imagem e semelhança de Deus. Deus é uma trindade formada por três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, que se relacionam na base do amor, ou seja: um faz pelo outro. O amor é o contrário do egoismo. O Pai criou todas as coisas para o Filho; o Filho vem ao mundo para salvar o ser humano segundo a vontade do Pai; o Filho volta para o Pai e quem vem edificar sua igreja é o Espírito Santo. Creio que nossa semelhança está aí. Fomos também criado segundo essa trindade e, no nosso caso, ela seria formada por: Deus, Eu e o Outro. A base também é, ou deveria ser, o amor e não o egoismo que nos caracteriza como resultado da queda. Paulo fala sobre a importância da fé, da esperança e do amor, ressaltando que o mais importante é o amor. É esta trindade que é restabelecida quando nos convertemos. Por causa desta trindade não é possível amar a Deus sem amar o próximo. Nosso restabelecimento a esta trindade é feita através do Filho e, por isso, Ele é o caminho, a verdade e a vida e ninguém vai ao Pai senão por Ele.

Yuri Santos disse...

Devemos então ficarmos estagnados no tempo/Cultura em que o contexto bíblico foi feito? Dessa forma as mulheres devem permanecer em silêncio e não usar da autoridade espiritual que também foi dada a ela?

concorda que esse pensamento se torna extremamente opressor e machista a mulher?

Maria Helena disse...

Gostaria de fazer um comentário sobre Gênesis 3:16 onde geralmente se lê: "E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.” Quero lembrar que esta não é a única formulação para este versículo havendo diferenças entre uma versão e outra mas, a diferença mais importante, na minha opinião, é que ele ás vezes é formulado com duas frases em vez de uma, desta maneira “E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos. O teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.” Dessa maneira pode-se pensar que a segunda frase não seria um mandamento de Deus, mas sim uma descrição do que aconteceria como consequências do pecado. E por que eu digo isso? Porque não há nada que reforce isso como mandamento de Deus nem na Lei, nem nos profetas e nem Jesus Cristo disse nada que pudesse remeter a um tal mandamento. São variações para a segunda frase: “A paixão vai arrastar você para o marido, e ele a dominará.” “E ficarás sob o poder do teu marido, e ele terá domínio sobre ti.” “E você terá vontade de controlar o teu marido, mas ele te dominará.”

Eurimar disse...

A partir desse momento, vou RASGAR minha Bíblia!!!
Se tudo que foi escrito, foi para às igrejas e crentes daquela época, então a Bíblia é apenas um livro de histórias! Não serve para os nossos dias.

Unknown disse...

Muito bom mesmo!!!

Maria Helena disse...

Não seja tão radical. Nem TUDO foi escrito para as pessoas e igrejas daquela época, mas algumas coisas sim.